Praça Raul Soares, 85 - Belo Horizonte - MG (31) 3292-7257 (31) 9.9357-1951
Caixas de Papelão Personalizadas

Caixas de Papelão Personalizadas

Caixas de Papelão Personalizadas – A Caixa de Papelão é um recipiente barato e bastante útil, podendo ser útil de várias formas, confira alguma delas a seguir:

Entre em contato e compre sua caixa de papelão personalizada!   (31) 3292-7257 | (31) 9357-1951

No artigo a seguir você encontrará os seguintes tópicos:

  • Caixas de Papelão Personalizadas;
  • Organização do Lar
  • A origem das caixas de papelão;
  • Caixas de papelão personalizadas;

Caixas de Papelão Personalizadas – Tudo Sobre

Caixas de Papelão Personalizadas
Caixas de Papelão Personalizadas

A Caixa de Papelão pode ser bem eficiente quando usada da maneira certa, além de ter um bom custo-benefício.

Organização do Lar – Caixas de Papelão Personalizadas

Quando você está com muita coisa acumulada em casa, que está deixando sua residência uma bagunça, ou quando você está de mudança e precisa organizar tudo para facilitar o trabalho de recolocar tudo depois, qual o objeto que te atende perfeitamente? Sim, as caixas de papelão são algo simples, mas que acaba por ter grandes fins em ocasiões normais para nosso cotidiano. Parece difícil olhar para caixas de papelão e pensar elas têm toda uma complexa história por trás que explicam desde sua origem até o objeto que vemos hoje. No entanto, assim como quase todas as coisas do mundo, elas passaram por evolução em sua história e situações bastante peculiares que a fizerem servir como uma das principais formas de armazenamento de diversas coisas nos dias atuais. Para entender tudo isso, vamos conhecer um pouco da história das caixas de papelão.

A origem das caixas de papelão – Caixas de Papelão Personalizadas

Caixas de Papelão Personalizadas - Origem
Caixas de Papelão Personalizadas – Origem

A caixa de papelão é um objeto para lá de subestimado. Elas são indispensáveis para nossa vida diária. Ela contém todas as nossas bugigangas e lembranças pessoais quando nos movemos ou enviamos coisas. Ela detém o nosso cereal matinal. Ela tem sido usada para inúmeros projetos de arte infantil; moldado em uma cabeça de robô ou corpo de um cavalo.

Tal como acontece com muitas coisas que se tornaram comuns, é difícil precisar exatamente por quem e quando as caixas de papelão foram inventadas.. Na verdade, a história da caixa de papelão, além de raramente ser comentada, também não é bem documentada. No entanto, reunidos em várias fontes, patentes e textos esquecidos antigos, podemos começar a juntar a história da onipresente caixa de papelão.

Parece que os primórdios do papelão remontam à China há cerca de três ou quatro mil anos atrás. Durante o primeiro e o segundo século a.C, os chineses da Dinastia Han usaram folhas de casca de amoreira tratada (o nome usado para muitas árvores no gênero Moras) para embrulhar e conservar alimentos. Este fato não é surpreendente, considerando que os chineses são creditados com a invenção do papel durante a dinastia Han, talvez até na mesma época (o primeiro artigo já descoberto foi uma inscrição de um mapa encontrado em Fangmatan, na província de Gansu).

Papel, impressão e papelão foram lentamente para o oeste graças à rota da seda e ao comércio entre os impérios da Europa e da China. Embora o papelão provavelmente acabasse na Europa muito antes do século 17, a primeira menção veio de um manual de impressão chamado Mechanick Exercises, escrito por Theodore Low De Vinne (conhecido autor de tipografia) e Joseph Mixon (um famoso impressor de livros de matemática e mapas, enquanto também acreditava, de forma bizarra, que o Ártico estava sem gelo porque havia luz do sol 24 horas por dia). No manual, podemos ler:

“O ‘Scabbord’ é uma antiga grafia de bainha ou tábua de escala, que já foi uma tira ou escala fina de madeira serrada… As bainhas mencionadas nas gramáticas dos impressores do século passado eram de papelão ou madeira.”

Através desta descrição, se deduz que o papelão era usado como material de impressão e para ser escrito, e não em forma de caixa e para armazenamento. A primeira instância documentada em que uma caixa de papelão foi usada foi em 1817 para um jogo de tabuleiro alemão chamado “The Game of Besieging”, um popular jogo de estratégia de guerra. Alguns apontam para um industrial inglês chamado Malcolm Thornhill sendo o primeiro a fazer uma caixa de papelão de folha única, mas há escassa evidência de quem ele era ou o que ele guardava na caixa de papelão. Outros quarenta anos se passariam antes que outra inovação abalasse o mundo do papelão.

Em 1856, Edward Allen e Edward Healey estavam no negócio de vender chapéus altos. Eles queriam um material que pudesse agir como um lineador e manter a forma do chapéu, ao mesmo tempo em que fornecia calor e elasticidade. Então, eles inventaram papel corrugado (ou pregueado). O papel corrugado é um material tipicamente feito com fibras de madeira não-branqueada com uma folha canelada presa a uma ou duas placas lineares.

Aparentemente, eles patentearam na Inglaterra no mesmo ano, embora as patentes inglesas de 1890 sejam notoriamente difíceis de encontrar e a maioria ainda precisa ser digitalizada. O próximo evento da história do papelão pertence Albert Jones, de Nova York, mas não se sabe se ele por acaso chegou a ter contato com um desses chapéus citados acima.

Em dezembro de 1871, Albert Jones recebeu uma patente nos Estados Unidos por “melhoria no papel para embalagem”. Na patente, ele descreve uma nova forma de embalagem que facilita o transporte e evita a quebra de garrafas e frascos. Diz a patente:

“O objetivo desta invenção é proporcionar meios para embalar de forma segura frascos e garrafas com uma única espessura do material de embalagem entre a superfície do artigo embalado; e consiste em papel, cartão ou outro material adequado, que é corrugado, ondulado ou saliente, de modo a apresentar uma superfície elástica… uma proteção mais eficaz para o frasco evitando mais quebras do que muitas espessuras do mesmo material concederiam em um estado liso como papel de embalagem comum.”

A patente continua a deixar claro que este novo método de embalagem não é apenas relegado a frascos e garrafas, apontando que ele poderia ser usado para outros itens, bem como não limitado “a qualquer material ou substância em particular, pois há muitas substâncias além de papel ou papelão que pode ser utilizadas para esse propósito”.

Alguns anos depois disso, a caixa de papelão que conhecemos e usufruímos finalmente, literalmente, tomou forma. O escocês Robert Gair era dono de uma fábrica de sacos de papel no Brooklyn. Em 1879, um encarregado de impressão em sua fábrica não viu que impressão estava muito rápida e milhares de pequenas bolsas de sementes foram cortadas, em vez de vincadas, arruinando todas antes que a produção parasse e o problema fosse resolvido.

Gair olhou para isso e percebeu que, se as lâminas cortantes afiadas estivessem um pouquinho mais altas do que as lâminas vincadas, elas poderiam dobrar e cortar ao mesmo tempo na prensa. Embora isso possa parecer uma coisa óbvia, não é algo que qualquer fabricante de pacotes tenha pensado antes. Mudar para papelão, em vez de papel, isso revolucionaria a fabricação de caixas de papelão dobráveis.

Você vê, à moda antiga, para fazer uma única caixa dobrável, os fabricantes de caixas marcam primeiro as folhas usando uma prensa, depois fazem os cortes necessários com uma faca de guilhotina à mão. Desnecessário dizer que isso fez com que a produção em massa de caixas dobráveis ​​fosse proibitivamente cara.

No novo processo de Gair, o corte e o vinco são realizados em uma única etapa. Com essa modificação, ele conseguiu cortar cerca de 750 folhas em uma hora em sua impressora, produzindo aproximadamente a mesma quantidade em duas horas e meia em uma única impressora o que toda a sua fábrica costumava produzir em um dia.

No início, as caixas dobráveis produzidas em massa da Gair eram usadas principalmente para itens pequenos, como chá, tabaco, pasta de dente e cosméticos. Na verdade, alguns dos primeiros clientes da Gair foram a Great Atlantic & Pacific Tea Company, a Colgate, a Ponds e a fabricante de tabaco P. Lorillard. No entanto, em 1896, Gair conseguiu seu maior cliente ainda para sua caixa de papelão pré-cortada e pré-vincada – a National Biscuit Company, ou Nabisco, com uma encomenda de dois milhões de unidades. Com esse salto na embalagem do produto, agora os clientes podiam comprar biscoitos pré-divididos em uma caixa forrada de papel- manteiga que mantinha os biscoitos frescos.

A partir daqui, as vendas dessas caixas explodiram e, na virada do século, a caixa de papelão veio para ficar. Então, da próxima vez que você estiver carregando seu armário com caixas de papelão cheias de roupas velhas ou comprando algo grande de lojas online você pode agradecer a um jogo de tabuleiro alemão pelo primeiro uso comercial de uma caixa de papelão e também a um pequeno deslize de empregados de Robert Gair, inspirando um pequeno, porém importante ajuste que possibilitou as caixas de papelão que tanto conhecemos hoje fossem produzidas em massa.

Caixas de papelão personalizadas

Caixas de Papelão Personalizadas
Caixas de Papelão Personalizadas

As possibilidades de uso para o papelão são muito grandes. É um material que acaba por se mostrar versátil, principalmente quando falamos em utilizá-lo como embalagem, tanto para produtos comerciais quanto para resolver a bagunça da sua residência. Os produtos personalizados têm virado tendência nos últimos tempos, inclusive aqui no Brasil. Canecas, camisas, chaveiros… Exemplos de produtos que são usados, tanto por empresas como por pessoas individuais de modo personalizado não faltam.

O que você talvez não saiba é que até o ramo das caixas de papelão entraria nessa onda de personalização. Diversos modelos, com impressão flexográfica e tamanhos adaptados as necessidades dos clientes. Apesar de ser um objeto simples, as caixas de papelão precisam sim ser desenvolvidas. Um melhor acondicionamento do produtor é necessário, proporcionando também melhor manuseio, armazenamento e transporte.

Em relação a possíveis decorações das caixas, diagramação e combinação de cores entram em ação. Você pode ter caixas de papelão personalizadas para produtos de sua empresa, ou para embalar um presente para uma amiga querida.

Leave a comment