Óleos Essenciais

Sândalo

sândalo

 

O relato sobre a árvore indiana fundamental para a indústria de perfumes no mundo

 

Árvore originária da Índia, o sândalo é uma planta que atualmente é plantada em abundância nas Américas e a sua madeira é de fundamental importância, para arte moderna e também para a indústria de perfumes no mundo. O óleo extraído da madeira do Sândalo possui propriedades de alto valor nos cosméticos e, o seu óleo traz aromas surpreendentes e que é desenha essências únicas no mercado de perfumaria.

O sândalo é extremamente importante para a cultura indiana, onde ele é conhecido como madeira. As propriedades da madeira fomentam sensações de amargo e seco que ao entrar em contato com o organismo, faz com que o corpo sinta fortemente as sensações do sândalo. O pau de sândalo, por exemplo, conhecido também como Santalum album, é utilizado desde a Antiguidade em rituais de limpeza e de consagrações espirituais. Acredita-se que o Sândalo pode provoca sentimentos espirituais que faz bem para a mente e para a alma do ser humano.

Os povos do Egito, da China e da Índia costumavam usar as propriedades do óleo de sândalo para embalsamar os mortos e também para benzer os recém-nascidos. Os relatos trazem que ao usar os compostos do sândalo, as portas dos templos antigos se abriam e performavam o ar de forma natural e refrescante. Diz a lenda que usar das propriedades do sândalo, os sacrifícios de vida justificam a salvação de outras, em vida. Por isso, o sândalo era usado para embalsamar os corpos – pela crença de que seria um sacrifício grandioso e louvável para aqueles que continuam em vida.

O pau-brasil e o sândalo – o que eles se parecem e se diferem?

O Brasil possui uma rica e densa natureza vegetal que ocupa milhares de quilômetros da Amazônia. Com a fauna e flora mais rica do mundo, o país é dono de uma dilapidação do mundo vegetal que marca os caminhos da história cultural do país. O pau-brasil, por exemplo, é um exemplo famoso do processo. O vegetal ganhou evidência e foi moeda de troca por muito tempo, no tempo feudal, pelos colonos e outros povos no mundo.

O Brasil tem o pau-brasil. E na América, o Havaí foi o primeiro país ao comerciar e cultivar a madeira da árvore do sândalo. As explorações vegetais no mundo desenham os rumos históricos, culturais e econômicos dos países no mundo. Durante anos, o pau-brasil se tornou uma das marcas das terras tupiniquins e trazem símbolos significativos para a história do Brasil.

Da mesma forma, ocorreu no Havaí com a árvore do sândalo. O país explorou fortemente a madeira, entretanto, não seguiu o exemplo das terras latinas, e não chegou a conservar o nome do vegetal em marcos históricos da evolução social e econômica do país das Américas.

A madeira de sândalo

Sandal, em árabe, a madeira de sândalo é considerada uma das árvores mais valiosas no que tange a extração de essências no mundo. Ela é usada na produção de perfumes, de artigos de luxo na Europa, no Caribe, na África e nas Américas. De origem oriental, o sândalo é uma madeira perfumada e que possui um óleo extremamente perfumado, que desde a Antiguidade possui alto valor de mercado.

No Oriente, o Sândalo foi e continua sendo usado para a decoração em templos sagrados e também na fabricação de incensos. Já no Ocidente, o sândalo possui forte significado cultural e histórico. No tempo de Salomão, em São Paulo, foi utilizado as madeiras de sândalo em sua construção.

Desde a Antiguidade, e posteriormente na Idade Média, a madeira de sândalo tinha quase as mesas designações na sociedade. Existe variações do vegetal e são eles: sândalo branco e amarelo e sândalo vermelho.

O sândalo foi encontrado pelos portugueses que, na época das cruzadas, que explorou fortemente o Oriente, encontrando o vegetal. Posteriormente, os europeus criaram grandes reservas para a comercialização do sândalo que é considerado altamente valioso no Oriente, e ganha evidência também na acidentalidade.

Sândalo – a essência de chuva de primavera

Dentre as variações do sândalo, existe aquelas que são utilizados diretamente para a fabricação de cosméticos e de perfumaria. Os indianos, em festas tradicionais a deusa Ganesha, possuem uma série de símbolos que desenham o ato cerimonial. Nos altares onde estão os deuses, está o sândalo, que é considerado o terceiro olho e que, segundo os indianos, faz reverência ao deus Shiva.

De maioria hindu, os indianos possuem o costume de enfeitar as cerimônias, comemorativas ou religiosas, e usam de artefatos e essências de perfuma a fim de estreitar a ligação entre os deuses e os indivíduos praticantes. Os indianos foram responsáveis pela descoberta da essência do óleo de sândalo, os quais descobriram uma forma inteligente para a extração do óleo que pode chegar até a um mês.

Os aromas possuem alguma conexão direta com a natureza e os perfumes ativam memórias que conectam diretamente o ser humano com o meio ambiente. Mitti Attar, por exemplo, descobriu, ao unir a terra argilosa com a madeira de sândalo, o aroma da terra. A essência ganhou vida após a primeira chuva de primavera e, posteriormente, ganhou evidência entre os indianos e atualmente o perfume é de propriedade do governo indiano – o qual detém os direitos sobre o produto, exportando-o para outras regiões do mundo.

O óleo essencial de sândalo

O sândalo possui duas variações de óleos: o óleo essencial de sândalo e o óleo de sândalo.  De origem vegetal, o óleo essencial pode ser usado puro pelo ser humano – pois o seu odor é quase neutro,  ele pode ajudar no tratamento da pele seca, irritada e ajuda diretamente no tratamento de quadros de acne. O óleo essencial é conhecido também para o tratamento de problemas respiratórios e inflamações internas. Há efeito positivo também na desinfecção do trato urinário e em retenções hídricas.

Os compostos contidos no sândulo possuem uso diverso na sociedade e a sua madeira é de alto valor econômico no mercado competitivo. O sândulo é usado também pela Aromaterapia – prática super em voga na sociedade contemporânea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *